"Sing is not what I do, is WHO I AM!"

27 de set de 2012





Foto: Guilherme Bordini



Cantar... é mover o dom, é sentir, é chorar com a voz, às vezes sorrir...
 É saber que seu instrumento é seu corpo.
 Cantar é arte, cantar é VIDA, cantar é transcendente, cantar é SER.
 Cantar é música, é raiva, é amor, é agressivo, é suave,é paixão, é sossego, é triste, é alegre, é arrepiante, é dançante, é  espiritual e é físico.
Cantar não é o que eu faço e sim, quem eu sou.







Dedicatória

15 de set de 2012

Imagem: Fabíola Medeiros

Hoje li um texto daqueles que me fariam apertar os olhos pra deixar escorrer uma lágrima teimosa.

Li palavras que deixariam meu peito apertado e sufocado como uma quase tosse que não consegue sair.

Daqueles que causam lembranças, que por sua vez, fazem a cabeça cair pro ombro e apertar o travesseiro contra o peito em um suspiro que mais parece um esgar de dor.

Nada daquilo é mentira ou deixou de acontecer. Um sorriso no canto da boca, um suspiro resignado me faz lembrar que está ali, sempre esteve, ainda está e vai estar... mas não faz mais o menor sentido.

Bati a poeira do sofá, travesseiro enxuto, corro os olhos novamente por aquelas palavras que já me arrancaram soluços e só consigo sorrir.

Sorri porque sempre parava ali, na metade do texto, no clímax, onde tudo é intenso demais, dolorido demais, vivo demais. Parava ali, onde meu sentimento estacionava.

E hoje, consegui ler até o final. Chegar no final também no sentimento, sair do clímax e ir pro desfecho. Acompanhar a cadência das palavras não só com os olhos. 

Aquele final, hoje também é meu. 

Um texto que vou ler e reler ainda muitas vezes, com o sentimento completo do clímax ao fim.

Com um sorriso nos lábios por estar tudo ali fazendo parte do que vivi, mas que não faz... Ah! Não faz mais o menor sentido!

(Dedicado a Stella Florence por: Carta de Desamor do livro "Os Indecentes")





Prazer e luz... que reluz...

5 de set de 2012

*não esquece que tem trilha sonora lá no final do post*


Reflete... brilha... ilumina.

Vem de dentro e nos faz ler imagens ao invés de letras e frases cuidadosamente compostas.
Nós somos em cada momento da vida, aquilo que nasce dentro de nós e salta aos olhos.

Cada fase tem sua beleza e transborda da forma que a gente deixa, sai do jeito que a gente canta, vem do jeito que a gente pinta.
Meu modo de transbordar é na voz, no riscado, na música e nos grafismos que saem no papel e em rostos.

Ela anda mais iluminada, transbordando um universo de cores ENSOLARADAS, que marca uma beleza que é quase como ela... SOLAR, RADIANTE, EFUSIVA, VIVA, VIBRANTE.

ELA é  minha parceira e eterno ícone de fotografia em Ribeirão Preto: Fabíola Medeiros

A poesia  BUCÓLICA  das imagens que vem sendo captadas nessa fase SOL chega a arrepiar os sentidos, tal qual música bem entoada. De encher os olhos e constatar que tudo que é estupendo de bom, pode sim, melhorar.

De me meter a poetisa de prosa eu entendo... e adoro sair por aí lendo sons e imagens e tudo aquilo que vibra no mesmo compasso das minhas pregas vocais... Faz o seguinte? 

VEM COMIGO... ??? 


Estar perto e ver a mágica acontecer e tão ou mais gratificante do que fazer parte desse processo... 

Fotos: Fabíola Medeiros / Produção de Moda e Make-UP : Carol Viana




                                                                 Aline Figlioli  






                                                                Thalia Tomaz








                                                                      Poliana Rosa







Trilha sonora de Luz

 

Copyright © 2009 Grunge Girl Blogger Template Designed by Ipietoon Blogger Template
Girl Vector Copyrighted to Dapino Colada